3. ago, 2015

Graviola, um milagre natural para a cura do câncer

Graviola, um quimioterápico natural

A pesar de seu incrível sabor e versatilidade no preparo de diversas bebidas, sobremesas e afins, hoje nosso interesse primordial nessa fruta estará voltado para seu poder anticancerígeno. E existem inúmeros estudos que garantem esse poder.

Fresh whole and half soursop fruit

A graviola é um poderoso anticancerígeno: com substâncias 10.000 vezes mais potentes do que uma quimioterapia.

No Instituto Nacional do Câncer, nos Estados Unidos, em 1976 foi comprovado que o poder “quimioterápico” da graviola sobre as células cancerígenas é 10.000 vezes superior ao do composto chamado Adriamicina, um dos citotóxicos mais agressivos empregados atualmente na quimioterapia.

Mas, além disso, a fruta apresenta uma propriedade extraordinária que a diferencia radicalmente dos quimioterápicos tradicionais. Enquanto esses atacam simultaneamente tanto as células cancerígenas quanto as saudáveis, pois não podem diferenciar as populações celulares saudáveis das doentes, a graviola deixa as saudáveis ilesas, enquanto ataca as células cancerígenas, detendo seu crescimento num prazo de 48 horas.

 

 

Graviola é um fruto verde em forma de coração, que tem cerca de seis a oito polegadas (15, 24-20, 32 cm) de diâmetro. De uns tempos pra cá, tem se mostrado interessante para os cientistas devido à presença da acetogenina, que tem propriedades citotóxicas. Em outras palavras: este ativo fitoquímico tende a atacar as células cancerígenas. Além disso, esse composto pode ser considerado um inseticida, e várias universidades proeminentes, como a Purdue, patentearam seus estudos e trabalhos relativos aos componentes da Graviola, uma vez que podem, mais tarde, ser reveladores. Os estudos ainda estão no início, e revelar alguns possíveis efeitos secundários alarmantes.

A árvore, encontrada na América do Sul e em numerosas ilhas tropicais, cresce melhor em climas tropicais. A polpa da fruta é usada em sucos, sorvetes e vitaminas e exibe um sabor picante e doce. A Graviola também pode ser consumida in natura, mas vale destacar que, sozinha, tem um sabor bastante azedo. Todas as partes da árvore podem ser moídas e utilizadas como um sedativo ou como um anticonvulsivante. Os frutos têm propriedades que podem reduzir a dor articular, tratar doenças do coração (como um sedativo), induzir o parto ou reduzir os sintomas de tosse ou gripe.

O fruto da Graviola tem uma longa história de uso terapêutico em culturas antigas, sendo atualmente utilizado na produção de remédios fitoterápicos. O chá feito com a infusão das folhas da Graviola serve para reduzir o inchaço das membranas mucosas (diminui a produção de catarro) e para tratar doenças do fígado. As sementes pretas esmagadas são usadas como vermífugo.

Fruto da Graviola